Divergente - Trilogia Divergent #1 - Veronica Roth

Sinopse

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Divergente é um livro que quero ler desde que tive contato com a sinopse dele há... bom não sei há quanto tempo, mas vocês estão cansados de saber o motivo de eu esperar o lançamento aqui, nem vou começar a falar disso. O fato é: Divergente é o tipo de distopia que você vai querer ler. É um livro envolvente e  viciante.

Este livro acontece em Chicago num futuro distante, depois de uma grande guerra surge uma nova sociedade e ela é dividia em cinco Facções, cada uma delas abomina um determinado comportamento humano e acredita que ele é a fonte do desentendimento entre as pessoas. Então a meta dos integrantes de cada uma dessas Facções é acabar com esses males.

Da Abnegação fazem parte aqueles que acreditam que o mal está no egoísmo; aqueles que, por sua vez, acreditavam que o caos era causado pela covardia se juntaram à Audácia; na Amizade estão aqueles que acreditavam que a desordem estava na agressividade; pessoas que se juntaram à Erudição eram os que repudiavam a ignorância e à Franqueza se juntaram aqueles que acreditavam vir da duplicidade os males da humanidade.

Essa é a realidade de Beatrice, uma adolescente nascida na Abnegação. Ela e seu irmão estão para escolher para que facção vão, mas aqui surge um problema: se ela sair da Abnegação deve deixar para trás sua família pois "a Facção vem antes do sangue", esse é o pensamento de todos os cidadãos de Chicago nesta época.

Para ajudar na escolha há uma espécie de "teste vocacional". Nele os adolescentes passam por uma simulação mental e que deve indicar em qual das Facções ele ou ela se daria melhor, é decisão de cada um seguir a indicação do teste ou não. É neste momento que a situação complica consideravelmente para a nossa protagonista, ela está apta a estar em mais de uma Facção, o teste aponto que Beatrice pode ir para a Erudição, a Abnegação ou Audácia, isso significa que ela é uma Divergente! A garota não sabe muito bem sobre isso, só que está correndo muito perigo e que é necessário que ninguém mais saiba sobre isso, inclusive sua família.

Quando ela finalmente faz sua escolha, de ir para a Audácia, Beatrice acaba decidindo mudar de nome, agora ela é Tris. É assim que ela vai se apresentar para Quatro, um dos membros da facção e que será muito importante para ela num futuro próximo. Ainda no primeiro dia  ela descobre que apenas dez dos novatos nascidos e transferidos para a Audácia se tornarão membros da mesma. Eis que o pior pesadelo de Tris pode se tornar realidade: ela pode se tornar uma sem-facção, que é considerado pior que morrer para essa sociedade. Será que ela é forte o suficiente para passar por todos os testes?

Eu já li algumas resenhas sobre esse livro e todas o comparavam com The Hunger Games, não vou fazer isso por um motivo muito claro: detesto Jogos Vorazes desde que li o último livro da trilogia não me matem. Já fazia muito tempo que estava de olho nesta distopia, mas como não estava lendo em inglês (sim, voltei a ler em inglês esse ano!), tive que esperar uma editora nacional comprar os direitos para publicar. Para minha sorte foi uma parceira do blog, então assim que pude solicitei o livro para resenhar e sinceramente? Vou ler Insurgent em inglês mesmo porque não consigo esperar o livro chegar aqui. O final é desesperador!

Divergente é um livro emocionante, que me fez perder noites de sono para saber o fim dele e, quando finalmente estava terminando o livro, não queria que ele terminasse, mas queria saber o que acontecia (confuso? É eu sei!). As personagens criadas por Veronica Roth são tão bem elaboradas que parecem reais, mesmo aquelas que deveriam ficar em segundo plano.

Tris é uma das minhas heroínas preferidas da literatura no momento, além de determinada, corajosa e independente ela também é genial (um traço que a autora passou pra ela?! rs). Já o Quatro não é aquele tipo de cara que tenta defender a garota e acha que ela não é capaz de conseguir as coisas por si mesma, na verdade ele exige muito de Beatrice justamente para que ela possa ser mais e mais forte. A ligação que vai nascendo e crescendo entre eles durante todo o livro é muito interessante. Fora isso, há uma história bem interessante por trás de quem ele realmente é o motivo de ser chamado assim.

Preciso comentar o fato de que esse livro é muito, mas muito diferente dos que em geral a editora Rocco publica. Ele tem a parte interna preta (como os livros de Os Instrumentos Mortais) e tem folhas amarelas (#momentopasmem!). Páginas amarelas agradam nove entre dez leitores e eu gostaria mesmo que a Rocco publicasse mais ou todos livros com páginas assim.

Para quem não sabe haverá um filme baseado em Divergent que possivelmente começa a ser gravado no mês de abril, para mais detalhes sobre a trilogia ou sobre o filme eu indico o fansite Divergente Brasil, o pessoal de lá é um amor e sempre que sai uma notícia nova eles postam! Inclusive já temos uma Tris Prior, a atriz (confirmada pela própria autora) é Shailene Woodley.

Bom para quem gosta de Distopias minha recomendação hoje em dia é sempre Divergente, sei que ele é um livro caro, mas vale cada centavo que gastar com ele. Como não poderia deixar de ser, para esse livro minha nota é cinco estrelas, menos que isso seria uma injustiça.


Classificação final:

15 comentários:

  1. não faz muito o meu estilo, mas tenho vontade de ler ele pelas resenhas super positivas que vejo.
    não sabia que iam começar a gravar o filme dele :O
    quero ler o livro, com certeza!

    ResponderExcluir
  2. Sei bem como o final deixa a gente. Ainda estou desesperada com isso, hahaha. Falei que em Abril, quando viajar, vou acabar comprando uns livros. Acho que Divergent (já que li de Book Tour) e Insurgent com certeza virão pra minha casa.
    Adoro a Tris, adoro o Quatro. :D
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. OMG!!! Alguém que odeia Jogoz Vorazes e ama Divergente! Também tenho a mesma opinião e achei que estava sozinha no mundo. kkkkkk.
    Divergente foi minha melhor leitura de 2012. Os personagens são encantadores. E eu que não sou muito fã de protagonistas, amei a Tris. A história é muito envolvente. A ligação entre Tris e Four acontece aos poucos, sem aquela paixão avassaladora à primeira vista que, sinceramente, ás vezes me cansa. A escrita da Verônica Roth é excelente e mal posso acreditar que é o primeiro livro dela.
    Recomendo a todos. :)))

    ResponderExcluir
  4. A princípio, o livro não tinha me chamado tanta atenção, mas com tantas resenhas positivas minha curiosidade só está aumentando. Sem contar que eu acho que distopias já são interessantes por si só.

    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  5. Eu quero muito ler esse livro, são tantas resenhas positivas que leio.
    Sua resenha esta divina!!!
    Um beijo.
    http://livrodagarota.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ótima resenha!!
    eu ja li divergente e também tive que ler Insurgent em ingles por não aguentar esperar!!
    mas o final do segundo é desesperador também e não tem o terceiro pra acalmar haha
    beijão

    ResponderExcluir
  7. Oie
    Eu li esse livro em ingles quando lançou nos USA, entao faz séculos. mas lembro que não fiquei empolgada, achei só bom.
    Bem, quero reler em portugues para ver se eu mudo de ideia.
    adoro livros distopicos.
    livros da rocco são sempre caros. vou esperar uma promo dele no sub.

    http://www.lostgirlygirl.com

    bjos

    ResponderExcluir
  8. Amo os Legados de Lorien. Concordo com você sobre o John ser um adolescente idiota, mas mesmo assim eu gosto dele.
    Sua resenha está com uns errinhos de digitação, é melhor dar um revisada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Não tinha vontade de ler esse livro, mas depois de ler Jogos Vorazes comecei a tomar gosto pelo gênero, e agora tenho vontade de ler esse livro.

    Beijos,
    Mandi - Book and Cupcake.

    ResponderExcluir
  10. Querida Jessie, nunca tinha ouvido falar desse livro e simplesmente surtei com a sua resenha. Descobri que gosto de distopias desde que li Delírio. Todo mundo fala de Jogos Vorazes mas nunca li. Uma amiga recentemente leu, estava amando, até chegar ao terceiro livro que acabou com ela. Nossa, fiquei super curiosa sobre o que tem no 3º livro pra gerar essa sensação de decepção.. hehe
    Já pus divergente na minha listinha. Valeu pela dica.
    Bjs, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
  11. Uau, o livro parece ótimo! Eu não tinha dado muita bola para ele, estava de olho em Legend, mas talvez vá repensar minhas leituras... E também não gostei do último livro de Jogos Vorazes!

    Beijo, Nat || travessuraselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Adorei sua resenha Jessie *--*
    Ain, eu adoro tanto esse livro que fico louquinha para ler resenhas como a sua.
    A Tris é tão legal, também é a minha personagem preferida do momento.
    Adorei o fato de a editora ter tratado este livro bem, na produção e diagramação dele.
    Realmente, foi uma das minhas leituras mais marcantes de 2012. Ansiosa para Insurgente.

    Beijos,
    Thais Priscilla
    http://thaypriscilla.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Quero muito ler Divergente, parece ser uma distopia e tanto. Adorei a resenha,
    beijos,

    Gustavo Valim
    Jantando Livros
    http://jantandolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. amei todo o contexto desse livro...Veronica escreve muito bem...

    ResponderExcluir
  15. Primeiramente, bela resenha. Sobre o livro, já me interessei por ele por ser um romance distópico, com outra visão da realidade, e já por ser assim ganhou pontos. Quando o li, vi que ele se tornou o espelho de todas as minhas expectativas em um bom livro de ficção, além de ter personagens bem construídos e um enredo fascinante e convidativo. Abraços

    Revolução Literária
    http://revolucaoliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir