Sociedade Secreta: Ritos da Primavera - Diana Peterfreund


Sinopse: Uma invasão ao mausoléu de uma sociedade rival acaba deflagrando uma campanha de ataques a Amy, e agora ela mal pode sair de casa sem levar um banho de água gelada ou sofrer uma invasão de grilos em seu quarto... Férias nunca foram tão bem-vindas! Mas o que ela não sabe é que os problemas a seguirão, mesmo na ilha paradisíaca de Cavador Key, exclusiva da Rosa & Túmulo. Será que Amy vai conseguir escapar dessas férias viva — e com o coração intacto?

Esse é o terceiro volume da série Sociedade Secreta da autora Diana Peterfreund, e, antes de começar a escrever as minhas impressões sobre essa leitura, darei dois avisos: 1) essa resenha pode conter spoilers dos livros anteriores; 2) se você ainda não começou a ler essa série recomendo fortemente que leia (o quanto antes!).  OK, avisos dados, vamos conversar um pouco sobre Sociedade Secreta #3 – Ritos da Primavera.

Amy e seus amigos coveiros invadem o mausoléu da Cabeça de Dragão e “furtam” uma estátua valiosa, mas é claro que, sendo a Cabeça de Dragão a maior rival da Rosa e Túmulo, eles não permitiriam que os coveiros invadissem sua propriedade, levassem algo que os pertence e saíssem ilesos de tal feito. Então, isso resulta em uma série de ataques à nossa querida protagonista, Amy.

Felizmente férias se aproximam e um grupo de coveiros — incluindo Amy — vai passar alguns dias em uma ilha particular da sociedade — Cavador Key. Finalmente alguns dias de sossego e descanso dos ataques, ou pelo menos era isso que ela esperava. Afinal, estar em uma ilha paradisíaca com alguns amigos, seria uma boa experiência, não seria? É, em tese, sim. Mas na prática Amy terá que lidar com acontecimentos um tanto desagradáveis e até traumáticos.

Digamos que nossa coveira não está com muita sorte, sendo perseguida pela sociedade rival, acontecimentos turbulentos e marcantes durante o seu período de férias, e com dificuldades em sua vida amorosa nota: parece que nunca podemos falar em calmaria quando o assunto são os relacionamentos da nossa protagonista.

[SPOILER] Aliás, não posso deixar de comentar sobre isso. Sofri, sofri, sofri, sofri, sofri, mas sofri MUITO nas primeiras páginas com o desenrolar da história entre Brandon e Amy. Brandon tem e sempre terá um lugar especial no meu ! Mas sim, admito que ele agiu como um verdadeiro canalha com a Amy aos 45 do segundo tempo. Por e-mail, Brandon?! JURA?! [/SPOILER]

Quando escrevi sobre o segundo volume dessa série (você pode ler aqui) eu fiz uma ressalva: achei o segundo livro um pouco “mais do mesmo” e estava com receio de que isso acontecesse no terceiro volume também. E... aconteceu. Em todo livro os coveiros sofrem uma espécie de perseguição. Sossego? Jamais. É um tanto cansativo — e a meu ver forçado — a todo o momento existir alguém tentando algo contra a sociedade, ou contra o grupo da Amy, especificamente.

Eu achei bastante interessante o problema que a sociedade enfrenta nesse livro. Foi inteligente e inesperado quando descobri quem estava por trás dos acontecimentos bizarros da ilha. No entanto, como nos dois livros anteriores a sociedade e os membros já tinham sofrido perseguições, o fato de ocorrerem mais ameaças à Rosa e Túmulo me incomodou.

Mesmo com esse ‘porém’ citado no parágrafo acima, não deixou de ser uma leitura agradável. Esse “mais do mesmo” que eu citei começa e termina com esse fato: as perseguições à sociedade, pois o desenvolvimento das personagens, de suas histórias, etc., não cai na mesmice.

“Tive medo disso durante anos, e eu estava prestes a me formar na faculdade ainda aterrorizada com a ideia de me apaixonar.” — Página 76

O livro é repleto de diálogos inteligentes, engraçados, envolventes. Talvez você não se identifique com a Amy, mas pode se identificar com outros, pois a autora sabe bem como desenvolver e integrar os personagens secundários à história.

E bem, no início do livro presenciamos a vida amorosa da Amy passando por maus momentos, mas prepare-se porque certo coveiro vai ganhar espaço no coração (de pedra, será?) da nossa coveira e, de quebra, ele deve ganhar um lugar no seu também.




Livro: Sociedade Secreta — Ritos da Primavera {volume 3}
Autora: Diana Peterfreund
Tradutora: Natalie Gerhardt
Páginas: 429
Editora: Galera Record

19 comentários:

  1. Quero muito ler essa série, já vi diversas resenhas e a curiosidade só aumenta, haha. Beijos,

    http://umaprimavera.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que um dia tenha oportunidade de ler, Ari! Gosto muito dessa série. Beijos.

      Excluir
  2. Li os dois volumes anteriores e gostei muito, quero ler este também.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, Rose. Os dois últimos também são excelentes. <3

      Excluir
  3. Só li o primeiro desta série e adorei, pena que ainda não tive a oportunidade de continuá-la! A história é muito bacana e diferente!

    Beijos,
    Mell Ferraz, blog Croissant Parisiense

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena mesmo, Mell. Mas espero que um dia dê continuidade a série. É muito amor! Beijos.

      Excluir
  4. Oiii. Não li nenhum livro dessa série ainda, mas morro de vontade!!

    Vi que seu blog está lá na lista dos parceiros da rocco.
    Sucesso com a parceria.

    Beijos,
    www.livrosqueinspiram.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Thaysa. Beijos e boas leituras. :)

      Excluir
  5. Acho que a autora coloca essa perseguição porque não consegue pensar em algo diferente quando se fala de Sociedades Secretas, de toda forma isso não me incomodou nem no primeiro, nem no segundo e espero que não me incomode no terceiro também, já que gostei muito dos dois anteriores.
    E há possibilidade de Book Tour? Se houver, me incluam!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Babi!
      Essas perseguições em todo livro me incomodaram um pouco sim. :{ Não tira a graça da história, nem minha vontade de continuar lendo, mas esse "mais do mesmo" é um pouco incômodo. Felizmente no quarto livro essas perseguições ficam um pouco de lado.
      Infelizmente é inviável continuar com o Book Tour. :( O pessoal foi saindo e a lista de interessados agora está muito pequena. Mas espero que tenha oportunidade de ler os 2 últimos volumes. Recomendo muito! Beijos.

      Excluir
  6. Sociedade secreta, coveiros, ilha particular? Uau, que livro é esse? Confesso que nunca tinha ouvido falar e agora com a intimação que você nos deu de que temos que lê-los, fiquei super curiosa.. kkk Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, pois sinta-se intimada, Mi! Beijos.

      Excluir
  7. Nunca fui completamente comprada pela história da Amy e do Brandon, logo não sofri quase nada com o desenrolar da história deles nesse livro. Eu, que sempre serei eu, já estava muito interessada naquele... outro coveiro. Desde o livro anterior (embora eu achasse divertida a história com... aquele outro) (estou realmente cuidando os spoilers! hahaha)

    Eu entendo o seu comentário sobre o "mais do mesmo", que não deixa de ser verdade, mas eu acho que é essa falta de sossego e esses ataques à sociedade que dão a graça da história! E, no fim, a Diana sempre inventa um motivo diferenciado por trás de toda a bagunça, que é sempre bem menos empolgante do que parece no começo - porque, afinal, a coisa toda da sociedade secreta É bem menos empolgante do que se pensa vendo de fora, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda.

      Ah, o Brandon foi quem me conquistou nessa série. <3 Sofri mais ainda no último livro da série quando eles conversam e ele está todo amargurado, desacreditado. :{ Sofri. Olha, te falar que essa vida amorosa da Amy, mesmo um tanto conturbada, não é das piores. Os 'mocinhos' que ela se relaciona ao longo da série são 'bacanas'. Cada um com sua peculiaridade, né? hahah.

      Sim, os motivos são diferentes, mas ainda assim isso me irritou. x_x Acho que ela poderia dar graça e vida a história de outras formas. Esse "inferninho" sempre me incomodou. Mas ainda assim é uma série que tem um lugar especial no meu ♥ e na minha estante, hehe.

      Beijos!

      Excluir
  8. Oi Amanda, adorei sua resenha e como tinha dito a você que terminaria a série pra comentar com você vim aqui!

    Esse é o meu 2º favorito da série, só perde pro 1º, acho que mesmo a autora ''ficando na mesmice'' o desenrolar é sempre emocionante e também acho que essa coisa de perseguição é o que dá a emoção pro tema ''sociedade secreta'', pq afinal pra que ela existe se ninguém sabe da sua existência, acho que isso é o ponto principal de toda a série e também o ponto de discussão de todo o clube da Amy.

    Agora fora a esse ''lance de perseguição'', os romances da Amy. Assim, vi que você gosta do Brandon eu com minha mania de amor pelo bad-boy gostava do George e até achava que por eles serem bem parecidos dariam certo e jogariam na cara de toda sociedade que sim ela domaria o Prescott hahahaha mas enfim, uma garota pode sonhar -Q
    Quando acaba o 2º livro eu fiquei desesperada pra ler o 3ª por conta ''do que estava por vir'' e quando eu li, nossa tava muito muito feliz dando pulos pela casa e tudo hahaha mas enfim. Vou parar de falar!

    Eu já terminei a série e simplesmente amei!

    Beijos
    Carol
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!

      Ah, eu não sei se consigo escolher um livro favorito na série, mas se tivesse que responder agora eu diria o 4º. Aquele livro me destruiu, mas eu amei mesmo assim. <3 O que me incomodava nessas perseguições é o fato de elas tomarem um espaço grande nos 3 primeiros livros, sabe? Essa 'formulinha' me incomodou. Mas no volume 4, felizmente, essa perseguição fica um pouco de lado.

      Hahaha, sério? Eu nunca vi ela dando certo com o George. Diferente de você eu não costumo gostar dos bad boys. Acho que dá pra entender porque morro de amores pelo Brandon, né? Ele era todo atencioso, fofo. <3 hahah. Mas realmente, a forma de se relacionar da Amy era parecida com a do George (o tal do desapego, ne? rs). Mas percebi um amadurecimento da Amy em relação a relacionamentos no último livro.

      Também já terminei a série e gostei demais!

      Beijos!

      Excluir
  9. Pera, antes de tudo: que header mais LINDO! *-* To apaixonada por essa ilustração, que amor o gatinho e cachorrinho <3
    Gente, parece uma história bem sombria. Mausoléus, coveiros nas suas férias e sociedade secreta. Bem bacana :)
    Hahaha será que sou a única pessoa que gosta de Spoilers? Pois é, pois é. Resenha muito boa, Amanda!
    Beijão <3
    http://bossanv.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Larissa!

      Obrigada! Que bom que gostou da ilustração. *-*
      Ah, não tem nada de sombrio na história não, viu? rs. Esses nomes podem dar essa impressão, mas não é nada muito sombrio, rs.
      Beijos! :)

      Excluir
  10. O que mais gostei nesse livro foi o romance. Brandon que me desculpe, mas Poe sempre teve lugar cativo no meu coração ♥

    Não sei, achei o terceiro melhor do que o segundo e realmente entendo o que você diz sobre a Rosa e Túmulo sempre estar sofrendo perseguições. Mas de certa forma me convenceu.

    Tipo, acho que o problema principal do primeiro livro nunca foi de fato resolvido (porcos machistas e chauvinistas sempre serão porcos machistas e chauvinistas), e isso acaba sendo levado em frente nos outros livros. Também tem o fato de que a turma da Amy sempre dá uma fora, vamos combinar. Acho que tudo isso se juntou para fazer com que o ano deles ficasse marcado e atraísse mais e mais dessas perseguições. Mas enfim, minha opinião.

    Estou louca pra ler o último volume e saber como termina! Meu ano está uma bagunça, então acho que só vou conseguir ler mais pro final do ano ;(

    Beijitos

    ResponderExcluir