Sociedade Secreta: Escolhas de Formatura - Diana Peterfreund

Sinopse: Amy Haskel e seus amigos Coveiros estão se preparando para enfrentar a vida fora dos muros privilegiados da Universidade Eli. A contagem regressiva para o resto de sua vida começou e, subitamente, Amy parece ter perdido o controle de tudo. Para piorar, ela tem que indicar alguém para seu lugar na Rosa & Túmulo. O problema é que a candidata ideal já está em uma sociedade, não tão secreta, e o substituto imediato é um idiota. Mas Amy acredita ter resolvido esse problema, com uma convocada perfeita de última hora. Será?


Escolhas de Formatura é o quarto e último volume da série Sociedade Secreta. A autora — Diana Peterfreund — construiu uma história que me prendeu desde o início. Fui fisgada pela série no primeiro livro e esse encanto permaneceu até o fim. Senti aquele frio na barriga ao iniciar a leitura, por medo do que encontraria nessas últimas páginas, mas felizmente não me decepcionei. Sofri enquanto lia? Sim. Mas terminei a leitura com um sorriso de satisfação estampado no rosto.

Esse livro partiu meu coração (principalmente da página 300 em diante). O clima de despedida que paira sobre a história torna a leitura melancólica. Despedida por ser o último livro da série. E também porque a maioria dos personagens está prestes a se formar. Esse clima de adeus me destruiu.

Amy e os demais coveiros estão prestes a deixar a Universidade de Eli. A vida adulta os espera. E, além de estarem ocupados e preocupados com testes finais, monografias e o futuro incerto que os aguarda, eles precisam encontrar um substituto que irá integrar o novo clube da Rosa & Túmulo.

Além das obrigações com a Universidade e com a Sociedade, Amy também passa por momentos delicados em seu relacionamento. Novidade? Nenhuma. Relacionamentos tranquilos não fazem parte do histórico dessa coveira. 

“Talvez não nos amássemos — talvez não quiséssemos admitir isso — mas nos importávamos um com o outro. E eu gostava da forma como me encaixava na curva do braço dele. Gostava da forma como os lençóis tinham o cheiro dele. Gostava de ouvi-lo respirar enquanto dormia.” Página 139

Embora o novo relacionamento da Amy seja conturbado (assim como os outros), certo amadurecimento da personagem é perceptível. Não sei se é possível falar em um amadurecimento total, quando a questão é relacionamento amoroso. Cada caso é um caso. Mesmo que você seja uma pessoa sensata, você pode ficar vulnerável e, eventualmente falar e fazer alguma besteira. Ainda assim você pode amadurecer suas atitudes, seu jeito de se relacionar. Mudar a forma como você reage a certas situações. Eu percebi isso na Amy, um amadurecimento nesse sentido. 

Não bastasse o seu relacionamento atual, um relacionamento antigo e não-muito-bem-acabado reaparece. Foi uma das partes mais difíceis de “engolir” durante a leitura, porque vi o sofrimento e falta de esperança presentes nas palavras de um dos meus personagens favoritos, vi ele deixar o sofrimento se transformar em amargura.

“— É a desigualdade implícita. Alguém é sempre aquele que ama mais, e isso eventualmente afasta o outro, o menos amado. Só a pressão disso tudo.
— Estou vendo que tem lido Auden.
— Hã? — disse ele franzindo a sobrancelha. — Ah, claro. ‘Se afeição recíproca não pode haver, o mais apaixonado eu hei de ser.’ — Ele tomou outro gole de café, depois fez uma careta. — Não sei se W.H. estava certo sobre isso. Já fui os dois. E prefiro culpa à humilhação.” Página 346

É difícil conseguir o equilíbrio em um relacionamento. Ou melhor, é difícil aceitar e saber lidar com o desequilíbrio. Desequilíbrio no sentido de um gostar mais, outro menos. Mensurar carinho, afeto, é algo difícil. Cada um vai demonstrar o sentimento de uma forma.

O jeito como eu exteriorizo o meu afeto por alguém vai ser de uma forma. E pode ser que isso incomode a outra pessoa. Se você não retribui do jeito que ela espera isso pode ser incômodo. Isso não quer dizer que você não gosta, mas pode ser que essa 'desarmonia' pairando sobre a relação, gere algum conflito, alguma insatisfação.

O assunto relacionamento — amorosos e de amizade — é algo muito presente no livro. Fica difícil não pensar em algo a partir do desenrolar das histórias. A autora, inclusive, aborda um tema delicado de forma instigante e sensível. Sobre relacionamentos doentios e, a dificuldade que se pode enfrentar para sair deles.

“Ele me transformou em outra pessoa. Lenta, mas inexoravelmente. Através de mudanças tão pequenas que eu quase nem notava do que estava abrindo mão.” Página 279

Sinto que escrevi muito, mas ao mesmo tempo penso que poderia escrever mais. Fiquei emocionada na maior parte da leitura e fiz inúmeros questionamentos na medida em que virava as páginas. Se você gosta de YA contemporâneo (livros sem fantasia) e que a história aconteça em um ambiente diferente da High School, recomendo, infinitamente, a leitura dessa série.




Livro: Sociedade Secreta — Escolhas de Formatura {volume 4}
Autora: Diana Peterfreund
Tradutora: Viviane Diniz
Páginas: 429
Editora: Galera Record

4 comentários:

  1. Oi Mandinha, nunca li nenhum destes livros, mas fico feliz que a autora tenha terminado-os de maneira satisfatória. Sempre quando escrevo uma resenha de um livro que gosto fico com aquela situação de que poderia ter escrito mais, de que faltou algo, assim como você sentiu nessa.. hehe ótima resenha, como sempre e valeu pela dica. Beijos, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi!
      É uma série que, infelizmente, vejo poucas pessoas lendo. Muitos falam que tem vontade de ler, mas que não leem por causa do preço :{ que não são muito amigáveis mesmo. Uma pena. Eu adorei a série! Sempre acho mais difícil escrever sobre livros que gostei. A sensação de que não consegui colocar em palavras o que senti lendo sempre toma conta, rs.
      Beijos! ^.^

      Excluir
  2. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir
  3. Oi Amanda.
    Se seu objetivo ,através dessa resenha, era convencer os leitores do seu blog para ler a série, você conseguiu com êxito.haha
    Quero muito ler algo dessa autora e pretendo começar por Sociedade Secreta. Que bom que a forma como a série finalizou te agradou bastante.
    Beijos
    All My Life in Books

    ResponderExcluir