Reiniciados - Teri Terry

Reiniciados é o primeiro livro da trilogia distópica Slated, escrito pela Teri Terry e publicado aqui no Brasil pela Editora Farol. Aos que acompanham o blog há algum tempo, devem saber que distopias me atraem muito. Então, essa foi a razão principal do meu interesse por essa leitura.

A história acontece no ano de 2054. O ano de 2020 — e os que se sucederam — foram anos difíceis. Muitas manifestações de estudantes — e de algumas gangues — que, eram pacíficas no início acabaram saindo do controle. Surgiu então o movimento da Lei e da Ordem — Lordeiros — que pregavam tolerância zero a atos de violência. O método encontrado para lidar com isso foi: os jovens deveriam ser reabilitados, em vez de punir severamente os criminosos, suas memórias seriam apagadas.

O livro é narrado em primeira pessoa pela Kyla. Ela é uma adolescente de 16 anos que acabou de ser Reiniciada. Ser Reiniciado significa ter a mente completamente apagada. Quem passa por esse processo precisa reaprender tudo. As pessoas que foram condenadas por algum crime podem conseguir esse ‘privilégio’, é como ter uma ‘chance de recomeçar’.

“Eles nos ensinaram o básico sobre os Reiniciados na escola do hospital. Éramos todos criminosos, sentenciados — apagariam nossas memórias e personalidades —, e assim poderíamos recomeçar.” Página 52

Kyla sabe que quando alguém passa por esse processo é porque, geralmente, oferece algum risco a ele mesmo ou a sociedade. Mas nenhum Reiniciado sabe o motivo de ter passado por esse procedimento. Somente ao completarem 21 anos eles poderão fazer a escolha: descobrir o motivo de terem sido submetidos a isso ou continuarem sem saber.

Honestamente acho estranha a ideia de ser um Reiniciado. Quem passa por esse processo são pessoas que — teoricamente — oferecem algum risco e, se você sabe que fez ‘algo errado’ no seu passado, você não ficaria curioso (a) para saber: quem você era e o que você fez? Eu, definitivamente, teria essa curiosidade.

Desde o início essa ideia de reiniciado parecia muito falha, para mim. A meu ver, para que fosse eficaz, a pessoa que passa por esse processo não deveria saber disso. Então, você tiraria as memórias — o que eles já fazem —, mas ao invés de deixa-los ‘em branco’, você colocaria memórias falsas no lugar. Assim, ninguém ficaria tentado a descobrir o seu passado. Porque implantando memórias falsas, o indivíduo acreditaria que aquilo é o que ele sempre foi. — Entendam que: não estou defendendo a ideia de fazer isso com as pessoas, só acredito que assim faria mais sentido.

Afinal, parece possível conseguir seguir em frente ignorando fatos do seu passado? Simplesmente ignorar quem você era e prosseguir como se estivesse nascendo de novo?

Todo reiniciado deve usar um Nivo, uma espécie de pulseira — ou relógio — capaz de medir o grau de felicidade do indivíduo, ou seja, ele monitora as emoções. Se a numeração marcada no Nivo fica muito baixa é necessário que se faça algo para que ela aumente, níveis muito baixos podem causar desmaio e até mesmo levar a morte.

O livro lembra um pouco — vejam: lembra um pouco! — Admirável Mundo Novo e Laranja Mecânica. Lembra o primeiro por conta do Nivo, pelo fato de as pessoas terem que estar sempre se sentindo bem, em Admirável Mundo Novo temos o soma, que tem a função de, justamente, trazer a sensação de felicidade, contentamento. Lembra Laranja Mecânica por conta das gangues, violência. E a forma drástica como tentam resolver o problema. O Nivo serve também para evitar que o Reiniciado pratique algum ato de violência. Se a pessoa tenta ou pensa em fazer algo violento, o nível do Nivo cai e isso faz com que a pessoa se sinta mal. Em Laranja Mecânica, é mais ou menos assim, a ideia é que o indivíduo, depois de passar pela técnica do Ludovico, não consiga mais praticar atos de violência.

Diferente dos outros Reiniciados, Kyla consegue pensar por si mesma. Ela questiona algumas coisas que os outros parecem nem mesmo perceber. E, por algum motivo muitas pessoas contavam coisas para ela. Mesmo sabendo das consequências que poderiam surgir por terem ‘falado demais’.

O motivo que faz a história acontecer — o fato de Kyla ser diferente — não é explicado neste livro. É o fato de ela não ser como os demais que faz com ela questione, faz com que conheça algumas pessoas, descubra fatos estranhos... Mas o que a faz diferente dos outros reiniciados?

Incomoda o fato de o que é tão falado no livro — kyla é diferente, kyla é diferente — não ter sido satisfatoriamente explicado ainda. Ficam muitas pontas soltas. Muita coisa para ser revelada e explicada nos dois próximos volumes.

Muitos pontos da história não foram muito críveis para mim — já citei alguns no decorrer da resenha —, mas tiveram outros fatos que não me pareceram muito coesos e outros que ficaram sem explicação. Por exemplo: 1. outras pessoas fazem um mínimo e coisas acontecem com elas, Kyla ‘pergunta o que não deve’, faz algumas coisas ‘suspeitas’, mas nada lhe acontece; 2. Kyla entende alguns acontecimentos “do nada”; 3. sabemos que somente jovens são reiniciados, então, o que acontece com os que não são mais jovens e praticam alguma atitude que não é vista com bons olhos pelos governantes? 4. Kyla não sabe coisas básicas — como todo reiniciado —, mas consegue ter conversas complexas, profundas com as pessoas.

Apesar dos pontos citados eu fiquei presa a história e, acredito que continuarei a leitura da trilogia. Torço para que, nos próximos volumes a autora consiga explicar tudo que não foi explicado e conduza a história de uma forma coerente.





Livro: Reiniciados
Trilogia Slated: Livro 01
Autora: Teri Terry
Tradução: Flávia Cortês
Editora: Farol Literário
Páginas: 432

25 comentários:

  1. Poxa, fiquei um pouco desanimada com a avaliação. Mas curti, pois assim não vou com muita sede ao pote!

    Beijos,
    Caroline, do criticandoporai.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol.

      A ideia do livro é legal. Mas algumas coisas não fizeram muito sentido pra mim. E outras tantas ainda não foram explicadas. Mas como é uma trilogia espero que as coisas se desenrolem de uma maneira satisfatória. :)

      Beijão. Boas leituras.

      Excluir
  2. Oiiii!

    Gostei muito do tema desse livro! Acho que isso funcionaria em casos extremos, ao invés de prisão perpétua ou sentença de morte - em países radicais, "tirar" a memória de alguém seria uma boa pena. Quero muito ler Laranja Mecânica e Admirável mundo novo, devem ser bons livros também!
    Parabéns pela resenha, há intertextualidade o que faz dela rica e é clara e bem escrita...
    É minha primeira vez aqui, não sei se costuma fazer isso mas escreva mais sobre clássicos, são meus preferidos rs.

    Fique com Deus

    oceano-literario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabriella. :)

      Obrigada pelo comentário. E fico feliz que tenha gostado da resenha.

      O tema do livro é bem interessante mesmo. Espero que nos próximos volumes os fatos que me incomodaram na narrativa não apareçam, porque a ideia é, realmente, boa. Mas não concordo com o método não. Acho legal na história - ficção -, mas aí realmente aplicar isso na realidade eu seria contra, assim como sou contra prisão perpétua e sentença de morte.

      Vou tentar falar mais sobre os clássicos aqui sim. Quero muito reler Admirável Mundo Novo e Laranja Mecânica. Assim que o fizer eu falo sobre eles aqui no blog.

      Beijos e boas leituras. :)

      Excluir
  3. Fiquei curiosa com o livro, apesar de todo os pontos negativos. E a capa é um pouco estranha (até um tantinho assustadora!). Essa distopia não me atraiu muito não.

    Beijos! || ape56.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Natália!

      Que pena que não te atraiu tanto. O tema é bem interessante, mas poderia ter sido mais bem pensado (acho eu). Essa capa também me dá um pouco de medo! haha, meio sombria, né?

      Beijos! Boas leituras. :)

      Excluir
  4. Olá Mandita,
    Você acabou de me jogar um balde de água fria, eu estava muito empolgado com esse livro, tinha lido resenhas que colocaram minhas expectativas lá em cima. Mas, foi bom ler sua resenha porque assim vou com os pés no chão para leitura.
    Achei interessante você mencionar que te lembrou um pouco o mundo de "Laranja Mecânica", realmente por essa não esperava e fiquei curioso para observar isso também na leitura. Enfim, a resenha ficou excelente como sempre! Beijos!

    Lucas - Carpe Liber
    http://livrosecontos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucas.
      Se você está interessado na leitura não desanime não. Talvez seja até bom começar a ler sem muita expectativa. Às vezes esperar demais de uma leitura acaba frustrando.
      Obrigada por passar por aqui.
      Beijos e boas leituras.

      Excluir
  5. Hey!

    Estou com os dois primeiros livros aqui e estava ensaiando começar a ler, a sinopse é bem bacana, mas agora dei uma desanimada...
    Tenho outras distopias mais "garantidas" pra ler na frente então!

    Beijão
    www.desigusson.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andhromeda!

      Talvez seja legal ler quando todos os livros já tiverem sido publicados (eu gosto de fazer isso com séries/trilogias). Aí se no primeiro livro fica muita coisa pra explicar (como foi o caso) os outros volumes já estarão por perto pra sanar a curiosidade do que ainda não foi explicado na história.

      Beijos!

      Excluir
  6. Reiniciados é uma trilogia que estou namorando faz um tempinho, estou doida pra ler essa distopia. Beijos, amei sua resenha.
    www.vicioempaginas.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Amanda, gostei muito do detalhamento de sua resenha, explicando ponto por ponto o que você não gostou e até opinando como deveria ter sido.
    Já havia lido muitas resenha positivas empolgadas sobre esse livro, mas seu ponto de vista me fez repensar um pouco.
    Não sou uma grande fã de distopia e estou fugindo de séries. Não é um livro que eu teria pressa em ler.

    Beijos
    Caline - Mundo de Papel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Caline. Obrigada. Fico feliz que tenha gostado da resenha. Sério que não gosta de distopias? Livros distópicos sempre chamam muito a minha atenção. Confesso que, de série, eu também fujo um pouco, rs. Mas às vezes não da pra escapar.

      Beijos, boas leituras. :)

      Excluir
  8. Sua resenha esta ótima... Aprsar dos pontos negativos do livro parece ser bem interessante

    http://foreverabookaholic.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camylla. A ideia do livro é interessante mesmo, mas algumas coisas poderiam ter sido melhor desenvolvidas e explicadas, a meu ver. Beijos.

      Excluir
  9. Ah tenho muita vontade de ler esse livro. Leio resenhas positivas e não tão positivas assim, mas mesmo assim ando curiosa.

    Beijos, Mands - Outbreaks.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Amanda. Leia sim. A ideia do livro é interessante (apesar de algumas 'falhas'), mas espero que nos próximos livros tudo se explique.

      Beijos.

      Excluir
  10. Eu quero ler esse livro mas toda vez que leio alguma resenha dele fico com um pé atrás. Bom, só tem um jeito de lidar com isso, é lendo o livro. Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  11. Oi Amanda, tudo bom?
    Eu não li esse livro ainda, nem o tenho, na verdade, mas fiquei curiosa com ele depois da sua resenha. O fato de serem 'reiniciados' me deixou instigada a lê-lo, quem sabe não ganho a promoção. rs?

    Beijos,
    May :*
    {tagarelando.net}

    ResponderExcluir
  12. quantos pontos negativos moça :/ kkkk mas por se tratar de uma distopia, o livro tem crédito comigo (pois, assim como você, amo distopia c: ).. daria uma chance. haha

    ResponderExcluir
  13. Estou super curiosa para ler, adoro as resenhas de vocês *-*. Já ouvi vários cometários sobre este livro e estou louca para ler.

    Bjss

    ResponderExcluir
  14. Mandita! Vi o título da resenha e, sabendo que era uma distopia, logo imaginei que seria uma resenha sua! Não a culpo, também sou atraída por distopias, elas sempre prometem conflitos instigantes. Prometem... Estava animada para ler a trilogia Slated, porque li muitas resenhas positivas, no entanto nenhuma delas fez essas considerações que você fez. Realmente isso pareceu estranho, sobretudo essas 5 considerações finais. Mesmo assim, quero lê-los assim que der.

    Abração!
    Dany
    www.1000-vidas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. O que me chamou a atenção nesse livro foi a capa mas depois de ler as resenhas parece ser um livro muito bom e como amo distopias estou bastante curiosa pra começar a leitura, ainda não tenho nenhum dos livros, mas estão na fila de compras.
    Sua lista de pontos que não gostou são bem interessantes , mas nem todo livro funciona pra todo mundo, então sempre leio pra ter meu ponto de vista, vou ficar atenta ao que disse.
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. A muito tempo quero ler esse livro! Fiquei meio triste por ter alguns pontos negativos, mas pretendo lê-lo mesmo assim :)
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir