O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks - E. Lockhart

Este livro chegou até as minhas mãos de surpresa. Na época — salvo engano final de 2013 — ele foi enviado para blogs parceiros da Editora Companhia das Letras  — que inclui, entre outros, o selo Seguinte, pelo qual esse livro foi publicado. Dentro do livro estava um papel com algumas considerações da Diana — ela faz o contato com blogs parceiros — sobre o livro. Ela teceu breves comentários sobre a história e suas impressões ao lê-lo. Fiquei curiosa e decidi acrescentá-lo a minha lista de leituras.

Antes das férias de verão Frankie, de 14 anos, era apenas uma garota comum. Gostava de ler, participava do clube de debates na Alabaster — escola onde estuda — e era paparicada pela família. No entanto, algo mudou durante o verão e, ao voltar para a escola todos se deparam com uma pessoa diferente. As mudanças não foram apenas físicas, junto com as curvas e um corpo capaz de atrair muitos olhares interessados dos garotos, surge também em Frankie uma inquietação em relação a algumas práticas, envolvendo uma sociedade secreta na sua escola, que acontecem desde quando seu pai estudava naquela instituição.

Após as mudanças durante o verão, Frankie, inicia o seu segundo ano na Alabaster e acaba chamando a atenção de Matthew, um dos garotos mais populares do colégio — se não o mais popular — e eles começam a namorar. A sociedade secreta existente na escola é conhecida como Leal Ordem dos Bassês e, tal sociedade, que existe há anos, é responsável por pregar peças, que deixam a administração, por vezes, preocupada e os alunos, instigados. E não devo me esquecer de mencionar que: a sociedade não admite garotas.

Com o tempo Frankie passa a fazer parte do círculo de amigos de Matthew e, de certa forma, fica fascinada com a amizade dos meninos, com as piadas entre eles e com a descontração com que parecem levar a vida. Eventualmente — ou melhor, propositalmente — ela descobre que ele faz parte da Leal Ordem dos Bassês. E aqui tem início certa obsessão por parte dela pela sociedade secreta e tudo que ela abarca.

Frankie acaba se sentindo inferior por ser privada de integrar algo que parece fazer tão bem a quem faz parte. Ela é incapaz de aceitar o fato de não poder ser uma integrante daquilo. Essa inquietação não acontece por ciúmes de seu namorado ou nada parecido. O sentimento que a move é no sentido de buscar uma igualdade de direitos, mesmo que, a princípio nem ela saiba muito bem o que a motiva a praticar determinados atos.

“Eu queria... provar o meu valor. Eu queria fazer as coisas acontecerem, queria mostrar que sou tão esperta quanto qualquer um de vocês, ou até mais, quando tudo que vocês sempre pensam a meu respeito é que sou linda.” Página 308

Ela tem um turbilhão de ideias e acaba as colocando em prática de uma maneira um tanto peculiar. E, tudo que ela pretendia com tais atitudes era mostrar sua perspicácia e inteligência. Ela vai mostrando, com seu jeito meio equivocado, que ela também é capaz de realizar atos que, antes eram feitos somente pelos membros da Leal Ordem dos Bassês.

A motivação da Frankie era válida, mas não gostei da forma como ela exteriorizou isso. Suas atitudes eram um pouco infantis — o que é compreensível por ela ser apenas uma adolescente — e um tanto egoístas. Seus motivos eram admiráveis pelo fato de ela pensar diferente da maioria das garotas de sua idade. De não pensar que tinha a vida perfeita por chamar atenção dos garotos e ter um namorado bonito e popular. Ela pensava além, ela queria mais e isso é, sem dúvidas, louvável.

É um livro que, acredito ser capaz de inspirar e mostrar novas perspectivas para o leitor, sobretudo para aqueles que se encontram na mesma faixa etária da personagem, mas pode sim, agregar também para aqueles leitores um pouco mais velhos. Gostei da Frankie e de sua personalidade, penso que não só adolescentes, mas todos nós deveríamos nos inspirar com o espírito independente e corajoso da personagem. Só acredito que ela poderia ter sido mais cuidadosa e cautelosa em suas escolhas. Pensar em si, mas sem deixar de pensar nos outros e em como suas atitudes afetam diretamente outras pessoas. Não estou dizendo que ela não deveria ter agido, mas sim que poderia ter sido menos impulsiva e pensado um pouco mais antes de agir. De tal modo que ela mesma e as pessoas a seu redor pudessem tirar mais coisas positivas de suas atitudes.




Livro: O Histórico Infame de Frankie Landau-Banks
Título Original: The Disreputable History Of Frankie Landau Banks
Autora: E. Lockhart
Tradução: André Czarnobai
Páginas: 344
Editora: Seguinte

6 comentários:

  1. Oi Amanda! Tudo bem?
    Eu ia adiar por um tempo a leitura deste livro, mas estou tão curiosa para conhecer a história pelas opiniões bem distintas que tenho lido e assistido que acho, no fim das contas, que vou passar ele na frente de outras leituras. O que me chama a atenção, principalmente, é a sociedade secreta e como Frankie vai lidar com essa ideia de desigualdade. Sua resenha foi determinante para me deixar mais em dúvida.

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nine! Tudo bem e você? :)

      Leia sim! Apesar das ressalvas que fiz é um livro que traz uma questão interessante. Eu gostava da Frankie apesar de não ter concordado com todas as suas atitudes. Boa leitura quando a fizer, Nine!

      Beijo!

      Excluir
  2. Oi, Amanda! Eu tenho vontade de ler esse livro. Acho que ele já me conquistou pela capa. Saber sobre o que você falou em ajuda a diminuir, claro, a expectativa que eu tenho pra essa leitura e que estava extremamente alta, já que até então ninguém tinha comentado sobre pontos negativos em relação à atitudes da personagem... De qualquer forma, lerei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Babi!

      Essa capa é bem legal mesmo. Pois é, eu não consegui gostar/aprovar totalmente as atitudes da Frankie, por mais que sua motivação tenha sido super válida. Espero que curta a leitura quando o pegar pra ler!

      Beijo!

      Excluir
  3. Olá Amanda,
    Eu lembro do lançamento desse livro e que eu achei a capa um tanto peculiar. E não pensava que Frankie se tratava de uma garota. :O Parece ser um livro bem descontraído e por isso vou adicionar-lo a minha lista de desejados. Bjs

    Lucas - Carpe Liber

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucas!

      Hahah, pois é. O pai dela esperava um filho, mas nasceu uma garotinha, rs. E ele acabou colocando esse nome nela.

      Beijos e boa leitura!

      Excluir