Cidade Do Fogo Celestial - Os Instrumentos Mortais #6 - Cassandra Clare

Hoje eu venho aqui para fazer a última resenha da série Os Instrumentos Mortais, uma série pela qual tenho um amor impossível de se acreditar e que me divertiu e emocionou por anos a fio. Ainda estou tentando me convencer de que não haverá mais livros, não porque o final deixou pontas soltas ou foi ruim, muito pelo contrário: foi divino!

Para todos aqueles que não querem spoiler dos livros anteriores sugiro que pulem direto para a minha opinião, porque pra eu falar um pouco dessa história preciso comentar sobre os livros anteriores.

Recapitulando os últimos acontecimentos: Sebastian foi trazido de volta a vida por Lilith que ligou a vida dele à de Jace, o que acontecia com um, aconteceria com o outro no mesmo instante. Clary, Simon, Isabele, Alec e Magnus conseguiram quebrar o feitiço, com muito custo, e agora todos eles estão tentando deter Sebastian Morgenstern de destruir todo mundo Nephilim.

Com ajuda do Cálice Infernal, Sebastian quer transformar todos os Caçadores de Sombras em Crepusculares, que são a versão maligna da raça. Ao atacar os Institutos de várias cidades ao redor do mundo e fazer os Caçadores beberem da sua versão Cálice, Sebastian tem conseguido aumentar substancialmente seu exército.

Para tentar deter o irmão, Clary precisa da ajuda de amigos, uma vez que a Clave está ocupada demais para prestar atenção no que Caçadorezinhos têm a dizer, por isso, quando Emma diz que ouviu que Sebastian estaria em Edom, um dos reinos infernais, ela não pensa duas vezes: decide que é pra lá que vai. Mas Jace, Simon, Isabelle e Alec não a deixariam ir sozinha.

Paralelo a isso, vemos a difícil situação em que se encontra Emma e Jules, eles são melhores amigos, mas os pais da garota foram assassinados (supostamente por Sebastian), e agora a Clave pode decidir que é melhor ela se mudar de Los Angeles. Mas Emma Castairs não quer perder mais pessoas que ama e, como boa menina teimosa que é, vai fazer de tudo para ficar com os Blackthorn e descobrir se há algo mais sobre para saber sobre o assassinato de seus pais.

Há mistérios a serem revelados, batalhas a serem travadas. Mentiras serão descobertas e Caçadores de Sombras e Integrantes do Submundo morrerão durante a guerra que se aproxima. É possível lutar até a morte contra sua família e amigos, mesmo que estes não sejam mais eles mesmos?

Quando termino uma série que me acompanhou durante anos a fio, acabo tendo um sentimento completamente diferente, não sei nem como explicar isso. O fim de Os Instrumentos Mortais, pra mim, é equivalente ao de Harry Potter, porque amo intensamente ambas as sagas de um jeito difícil de entender. Já nem sei a quantos anos conheço e sou apaixonada por TMI, anos demais pra falar a verdade, comecei quando era pra ser só uma trilogia! Quando não havia spoiler disponível na internet porque nem Cidade da Cinzas havia sido lançado ainda!

Não é o primeiro final da Cassie que leio, chorei tanto em Princesa Mecânica, fiquei desesperada com os acontecimentos e como tudo tinha acontecido e depois de meses de espera, descobri que a Cassandra Clare é mestre em quebrar meu coração em pedaços e reconstruiu só para a fazê-lo em pedacinhos outra vez. Chorei boa parte das páginas de Cidade do Fogo Celestial, mas também fiquei apreensiva e ri de algumas coisas.

Diferente de qualquer outra série, e posso dizer isso com a experiência de quem já terminou inúmeras delas, o final que a Cassie trouxe veio cheio de lágrimas e risos, mais que em qualquer outro livro, mesmo os outros escritos por ela. É impossível descrever como fiquei agora que finalmente cheguei ao fim, que estava louca pra descobrir como seria e ainda assim não queria terminar. Pensar que esse é realmente o fim dos livros de Os Instrumentos Mortais é uma coisa que estava temerosa desde o início.

Sei bem que haverão outros livros no mesmo universo, sei que muito provavelmente irei amá-los mais do que amo Os Instrumentos Mortais, mas é que essa série agregou tanta coisa na minha vida, não falo só dos momentos acordadas no meio da madrugada que não conseguia parar de ler, TMI trouxe pessoas novas e maravilhosas e por isso sou tão grata ao universo criado pela Cassandra Clare.

Vocês podem imaginar que estou muito ansiosa para começar a ler a trilogia The Dark Artifices, que deveria ter seu primeiro livro lançado ainda este ano, mas que foi adiado para o ano que vem (já esperneei muito com isso), o primeiro livro, Lady Midnight, vai contar a história de personagens que já conhecemos: Emma, Jules, Mark e todos os outros Blackthorns e ainda poderemos rever personagens conhecidos, mas os quais não posso citar o nome porque seria um grande spoiler dos outros livros.


3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi Jessie!

    Até hoje eu não sei como te agradecer por ter me apresentado TMI, juro. HUAEHAUEHAEUHAE Gostei demais do último livro, apesar que algumas mortes me deixaram com muita raiva da Cassie. Acho que depois de Harry Potter, essa vai ser minha série preferida EVER.

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Preciso de coragem para voltar a série Instrumentos Mortais. Parei no 3.
    https://amodernpinup.wordpress.com/
    Emanuella Casado

    ResponderExcluir