Profundamente Sua - Crossfire #2 - Sylvia Day

Algum tempo atrás postei a resenha de Toda Sua, primeiro livro da série Crossfire e cá estou eu para falar sobre o segundo livro da trilogia, Profundamente Sua, o qual li faz algum tempo e que, diferente do seu antecessor, não me agradou tanto assim.

Antes de continuar a ler atente-se para o fato de que, como estou falando do segundo livro de uma série, essa resenha pode conter spoilers

Eva e Gideon continuam tentando levar seu relacionamento à diante, mesmo com várias pessoas contra, mesmo com as tendências nada saudáveis do casal, ainda assim eles tentam ficar juntos. Problema é que agora há novos obstáculos a serem transpostos.

O terror noturno de Gideon está cada vez mais preocupante, os pesadelos têm feito dele um homem violento enquanto dorme ao lado de Eva. Ela por sua vez gostaria de ajudar, mas isso só seria possível se ele compartilhasse com ela alguma coisa, qualquer informação, mas a cada dia que se passa Eva nota que seu amado se fecha em uma fachada autoconfiante que é quase impenetrável.

Outras coisas também prejudicam o relacionamento deles, como o ciúme exacerbado que a jovem sente de Corine, ex-noiva de Gideon. Ele por sua vez não está imune a isto e quando um ex-namorado de Eva aparece ele começa a ficar completamente perturbado, sensação que ela provoca nele de propósito.

Cary, o melhor amigo da nossa protagonista, não está muito melhor. Apaixonado por um cara e se relacionando com ele e com uma mulher ao mesmo tempo, ele está se afundando mais e mais por causa da sua conduta autodepreciativa. Mark, o chefe dela, é o único que anda bem, obrigado. A vida dele com o parceiro, não tem tantos dramas assim.

O que nem Eva e nem Gideon esperavam é que o passado pudesse assombrá-los ainda mais, testando ainda mais o frágil laço que os unia. A grande pergunta que fica é até onde eles seriam capaz de chegar para proteger o amor que sentem um pelo outro?

Diferente do primeiro livro, que eu realmente amei, esse me assustou bastante. Tem tanta coisa errada na relação da Eva e do Gideon que alguém que estudasse psicologia iria se deliciar ao fazer uma análise deles, ao invés de uma estudante de Direito. Mas vamos lá!

No primeiro livro eu já tinha entendido que havia algo errado na forma como a relação deles era apresentada, mas ainda assim, em Toda Sua não fomos apresentadas a nada tão doentio, pelo menos não pra mim. O problema é que nesse segundo livro nós vemos que ambos estão obcecados um pelo outro e que acreditam verdadeiramente que só eles importam, esquecendo-se dos amigos e da família, coisas que se tornam terciárias na narrativa.

A obsessão é tamanha que, mais ou menos, no meio do livro acontece uma reviravolta gigante e como Gideon lida com isso é tão surpreendente e chocante que eu não acreditei quando foi revelado. Eu fiquei pensando o quanto aquilo era doido e que se fosse comigo teria corrido para o mais longe possível. Mas o que a Eva faz? Fica feliz ao ver que o seu amado cometeu um crime por ela. Sério, isso não é normal e nem sei como lidar com isso, mesmo em uma obra de ficção!

Personagens como Cary ganham a importância de uma mobília em boa parte do livro porque a personagem está tão preocupada com seu relacionamento que chega a ser deprimente. O problema é que o melhor amigo da Eva tem a mesma importância na narrativa que seu chefe ou a recepcionista, tudo bem que ambos acabam se tornando amigos dela, mas convenhamos? Não da pra comparar!

O ponto forte do livro pra mim é, de longe, a escrita da autora. Mesmo vendo mil e um absurdos no livro não consegui simplesmente abandonar a leitura. Um feito e tanto da Sylvia Day.

Outra coisa que definitivamente foi positivo para mim é que descobrimos um pouco mais sobre o grande segredo de Gideon Cross ao longo da leitura. Já tinha minhas suspeitas de o que seria, mas fiquei bem chocada ao entender o que de fato tinha acontecido com ele, isso explica muita coisa da personalidade dele.


2 comentários:

  1. Poxa, só 3 estrelas? Fiquei desmotivada para ler a série :/

    Beijos, Caroline, do Criticando por Aí

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Caroline... Pra mim ele foi bom, mas nada mais que isso. A reviravolta final realmente me deixou muito incomodada.

      Eu indico, mas com ressalvas, entende?

      Beijos - Jessie

      Excluir