Toda Sua - Crossfire #1 - Sylvia Day

Toda Sua é o primeiro da série erótica Crossfire escrita pela Sylvia Day e lançada faz algum tempo pela Editora Paralela, mas só recentemente despertou meu interesse.

Eva Tramell acabou de se formar em publicidade e quer começar sua carreira sem a interferência do seu padrasto, um multimilionário muito bem relacionado. Por isso ela se muda para Nova Iorque começa a trabalhar com Mark no prédio chamado Crossfire e é lá que ela encontra, pela primeira vez, um moreno perigo, de olhos azuis penetrantes e que desperta um desejo inesperado na jovem mulher.



Dias depois, durante a apresentação da campanha de um produto, ela se encontra novamente com o tal moreno perigoso e descobre que ele é, na verdade, Gideon Cross, não apenas o dono do prédio onde está trabalhando e o CEO da Indústrias Cross, mas também é um dos homens mais ricos do mundo! 

A vida de Gideon é permeada por beldades — todas morenas —, mas nenhum relacionamento duradouro, apesar de todas as mulheres de Manhattan (e do mundo!) darem os braços e pernas para terem a chance de estar com ele. Acontece que ele gostou da Eva e propõe para ela uma relação sem qualquer intimidade real, mas marcada por muito prazer.


Com todo o bom senso de uma mulher que se conhece e sabe que não vai conseguir não se apegar a Gideon e conhece a sua necessidade de "mais" em um relacionamento ela não aceita, se ele a quer tanto que seja em seus termos: tudo bem terem sexo casual, mas ela precisa de intimidade, precisa conhecê-lo melhor. É isso ou nada. E o milionário está tão encantado que aceita.


Ao se relacionar ele tem que aprender a lidar com Cary, melhor amigo e com quem ela divide o apartamento alugado — e pago — pelo padrasto e pela mãe. Por falar em mãe... a relação dela com a louca da mãe não é nada boa. A mulher não respeita em nada a privacidade da filha por causa de acontecimentos passados e isso acaba fazendo a relação das duas ser praticamente impossível. O fato do padrasto fazer todas as vontades da mãe de Eva, em relação a tudo, também  não ajuda em nada.


Gideon e Eva estão cada vez mais próximos, inclusive sendo fotografados juntos por paparazzis, isso traz de volta sua vida fantasma que ela gostaria de ter deixar no passado. Além disso ela descobre que aquilo que todos veem em Gideon é apenas fachada, ele é tão — ou mais — perturbado que ela própria. Eles vão precisar superar muitas dificuldades para conseguirem ficar juntos. Para que a relação deles funcione Eva precisa contar a verdade e ele precisa se abrir com ela. Mas será que conseguem?


Fazia alguns meses que li Toda Sua, mas a história desse primeiro livro foi tão marcante que é como se tivesse terminado o livro ontem! Não bastava a história de Eva e Gideon ter me pegado de jeito eu tanto fiz que consegui com que a Carol do Paraíso Literário lesse. E acabou que nós duas chegamos praticamente às mesmas conclusões.


A primeira delas é que esse livro é bem escrito. A Sylvia Day sabe como envolver o leitor em sua narrativa e nos fazer ficar afoitos por mais informações sobre a trama e os segredos de cada uma das pessoas que a envolve. A segunda é que com certeza ela sabe criar personagens carismáticos o que é muito importante para que o leitor se mantenha interessado na obra.


Outros pontos positivos são o fato de que os dramas e segredos criados pra cada personagem não são coisas banais, só pra deixar o livro mais grosso. Nada disso, os segredos da Eva, Gideon e Cary são bem "pesados" e você acaba se compadecendo da situação deles. O que ficou claro aqui nesse primeiro livro é que todo mundo é absolutamente danificado, chega a dar pena gente, sério.


O que me incomodou nesse primeiro volume — na série toda tiveram outras coisas, mas nesse primeiro não consigo me lembrar de nada — é o quão invasiva Monica, a mãe da Eva, é. Se minha mãe fizesse metade das coisas que essa mulher faz eu acho que nós duas não nos falaríamos mais. Por outro lado, Richard — o padrasto — deixa a mulher fazer o que bem entende e quando Eva reclama ele sempre usa argumentos como "isso a deixa mais calma" ou "você sabe que ela só faz isso porque quer te proteger". Sério, é bem doentia a relação que o casal tem com Eva já que ela é uma mulher teoricamente independente.


Bom, nesse primeiro livro eu realmente me apaixonei por duas personagens: Mark — o chefe gay da nossa protagonista — e Carry, o melhor amigo. Sério, gente eles são demais. Claro que gostei do Gideon, mas por já ter lido os outros três livros eu meio que me desapeguei, mas isso só vamos falar mais pra frente!


Como já li todos os outros livros da série Crossfire em fevereiro, espero não demorar muito para voltar aqui pra contar o que achei dos próximos volumes da série. Ahh, para aqueles que ainda não sabem: a história não termina no quarto livro, há mais um volume — pelo menos — que ainda não foi lançado.




2 comentários:

  1. Adorei tua resenha e espero ler em breve, vou procurar o nome dele aqui. Besos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Magui...

      Que bom que gostou da resenha... Acho que ele pode te surpreender, com certeza a série me deixou bem chocada!

      Beijos - Jessie

      Excluir