O Gigante Enterrado - Kazuo Ishiguro

Kazuo Ishiguro é um autor que vem recebendo várias críticas positivas ao longo dos anos, tanto de blogueiros quanto de outros autores e isso vem me deixando muito curiosa a respeito de seus livros, então surgiu a oportunidade de ler a prova de O Gigante Enterrado e eu não pensei duas vezes e fui logo solicitando!

Nesta leitura somos apresentados para a Grã-Bretanha em uma terra devastada por várias guerras que aconteceram recentemente, a queda do rei Arthur e que também assombrada por uma maldição, uma névoa que provoca o esquecimento em todos ali e essas ameaças de serem invadidos por ogros deixam os moradores inquietos e preocupados.

Nesse contexto conhecemos Axl e Beatriz, um casal que decide partir em uma busca pelo filho, mesmo não se lembrando de sua aparência ou da última vez que tiveram contato com ele, aliás eles não sabem nem mesmo seu paradeiro, tudo que possuem são indícios. Durante sua jornada eles encontram alguns cavaleiros que sobraram da época de Arthur e esse encontro vai gerar algumas consequências para eles.

Ao decidirem continuar sua busca pelo filho eles vão acabar procurando também por uma forma de anular os efeitos da névoa e o casal de idosos terá seu amor posto a prova, será que o sentimento que nutrem um pelo outro será o bastante para superarem as adversidades de sua jornada? Como eles podem superar essas dificuldades se não podem nem ao menos se agarrarem a lembranças de momentos que viveram juntos?

A ficção criada por Ishiguro é absolutamente apaixonante bem como as personagens criadas por ele. O background que o autor cria para basear a personalidade do casal faz com que vejamos algumas coisas que podem passar despercebidas para nós no dia-a-dia, eles sustentam uma união onde as lembranças não são uma opção.

Bom, outro fato que pra mim fez grande diferença na hora de ler a obra é o tempo em que ela se passa e mesmo a construção do mundo feita pelo autor. Eles nos mostra uma Grã-Bretanha devastada não apenas pelas guerras para ver quem controlaria o império depois da queda do Rei Arthur, mas também seres míticos nada bonzinhos e isso torna a fantasia ainda mais interessante.

A grande discussão proposta pelo autor do livro é a relação entre a memória pessoal e a coletiva e como ela interfere na nossa vida, afinal de contas quem somos nós sem nossas lembranças? Ou seria melhor esquecer o passado e viver o presente? Esta proposta realmente mexeu muito comigo durante a leitura.

Esse é um livro com um tema bem puxado e que pode não agradar todo mundo, principalmente aqueles que estão numa fase onde preferem uma leitura mais leve, mas a proposta é tão interessante que certamente aqueles que decidirem lê-lo vão se sentir arrebatados pelo livro.

15 comentários:

  1. Adorei o livro !
    Costumo ler livros leves , mas , sempre é bom diversificar para não ficar preso á um único tipo de leitura .
    Com certeza lerei "O gigante enterrado " , valeu pela dica !

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Diane!

      Que bom que pretende dar uma chance ao livro, valeu muito à pena pra mim dar essa "escapada" dos gêneros mais leves e mergulhar em um livro como O Gigante Enterrado. Torço pra ser igual para você.

      Obrigada pelo comentário!
      Beijos

      Excluir
  2. Oi, Jessie! Apesar de eu estar no time dos que estão preferindo uma leitura mais leve no momento, fiquei muito interessada em ler esse livro, ainda que mais pra frente! Beijos

    www.chezb.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna!

      Eu também sou do time que anda preferindo leituras leves, mas esse livro realmente me conquistou que bom que também despertou seu interesse!

      Obrigada por comentar!
      Beijos

      Excluir
  3. Jess que resenha linda ♥ meu deus eu fiquei completamente louca para ler o livro do Kazou agora. Acho que já vi a Amanda falar de um livro dele, então agora estou mais curiosa ainda, ainda mais com toda essas questões de identidade e memória.

    Beijos -- Jules

    ResponderExcluir
  4. Você caprichou nessa resenha Jessie, fiquei muito curiosa pra ler <3

    Liv

    ResponderExcluir
  5. Acabei de ler,e já estou com saudades dos personagens!lindo maravilhoso! uma história de amor!

    ResponderExcluir
  6. eu não entendi o final :(
    PERGUNTA MEIO SPOILER


    por que ele fez aquilo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive a impressão de que ele achava que não iria ser levado à ilha... :(

      Excluir
    2. Putz cara nem eu��me veio na cabeça de que o axl não tinha esperanças de ser transportado pra ilha...Será, pó se for isso q decepção, tbm achei o fato de ele chorar na praia estranho, desde esse momento temI q ele não fosse junto com ela. Ahhh não pode ser afff

      Excluir
    3. Pra mim, essa parte foi bem tocante... Pelo simples fato de: mesmo o amor deles sendo forte e tendo superado aqueles momentos difíceis, seja por conta da névoa ou por simplesmente perdoarem um ao outro, não existe amor perfeito... Todos erramos e aprendemos com nossos erros ao aprendermos a conviver com eles, e principalmente a conserta-los.
      Independente da força do amor, não existe casal perfeito, o qual vão embora juntos no mesmo barco. Todos vamos sozinhos nessa jornada à ilha, da mesma forma a qual viemos à vida.
      Pode ser que o barqueiro o leve para junto de sua amada, mas quando for sua hora. Na minha humilde opinião, simplesmente não era hora de Axl morrer, e ao sair do barco ele se deu conta disso.

      Excluir
  7. Terminei de ler o livro hoje e, procurando por resenhas de quem leu, achei o blog. Cara, também recomendo o livro para todo mundo. É uma história sensível, mas, ao mesmo tempo, bastante aventureira. Por mais que o pano de fundo seja uma era medieval, fantástica (com ogros, fadas, mitos, rei arthur), o livro, pra mim, soou mais como uma história de aventura bem leve, destacando a importância que a memória tem na construção dos relacionamentos. E o escritor manda muito bem! É um texto ótimo de ler.

    UMA SPOILEADA/PITACO PARA QUEM NÃO ENTENDEU O FINAL

    ps: o final é demais, e eu interpreto que o Axl tenha feito aquilo pelo simples fato de não acreditar que o laço entre eles seja forte o suficiente para fazer a travessia. Daí a melancolia nas páginas finais quando as lembranças começam a voltar. A lembrança do passado foi mais forte que o presente e o possível futuro na ilha. De qualquer forma, o final é bem aberto a qualquer tipo de interpretação :)

    ResponderExcluir
  8. Olá! Li seu post e gostei muito. Em meu blog, fiz uma analise mais filosófica da obra. Caso haja interesse, recomendo que dê uma olhada ;)

    http://zuccolottosoldeinverno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. confesso que fiquei um pouco decepcionado, não que gosto apenas de finais felizes mas, passaram todo o livro enfrentando dificuldades e logo no final,dão uma imensa margem para a conclusão de que não ficaram juntos.

    ResponderExcluir