Só por hoje e para sempre - Renato Russo

Só por hoje e para sempre traz um relato escrito pelo Renato Russo entre abril e maio de 1993, quando ele decidiu se internar em uma clínica de reabilitação, que ficava no Rio de Janeiro, para lutar contra a dependência química. O Renato fazia uso abusivo de álcool e drogas (como cocaína e heroína). Então, em 1993, às vésperas da Semana Santa, ele acatou a sugestão de seu analista na época e se internou na clínica. Porque como ele mesmo escreveu, ele constatou que tinha chegado “ao fundo do poço”.

"Não me importava mais com nada, só tinha pensamentos e emoções extremamente negativos, minha compulsão sexual voltou (por vezes, eram cinco meninos por noite, toda noite) e eu só pensava em morrer. Foi esse período, de dois anos para cá, que foi 'o meu fundo do poço'. Fingia estar bem para o mundo, mas todos sabiam dos meus problemas." — Página 42

Na clínica o Renato e os demais pacientes faziam diversas atividades e dinâmicas, com o intuito de ajudarem nessa luta contra a dependência química. Uma das atividades propostas era responder um formulário (que eles chamavam de Folha de Eventos Significativos) e, essa dinâmica da escrita se transformou nesse livro, basicamente.

Além das respostas do Renato aos temas que o corpo clínico propunha para os internos, também encontramos no livro simplesmente seus relatos do dia a dia. Logo, temos contato com os pensamentos dele sobre esse período específico da sua vida, mas com essa dinâmica dos temas que o corpo clínico propunha, ele relata acontecimentos passados também.

Então, por vezes temos menção à banda, Legião Urbana, e sua relação com os integrantes. Menciona também sua relação com a família, sua relação com amigos e os seus relacionamentos amorosos (sobretudo como o seu vício influenciava nas suas relações com as pessoas). Ele aborda vários pontos de sua vida, escrevendo abertamente sobre eles. No entanto, muitos nomes que ele citou ao escrever, no livro optaram por deixar apenas as iniciais.

Uma característica que é possível perceber com esses relatos é que o Renato era muito intenso. As coisas do mundo e as ações das pessoas o afetavam bastante. Isso não é, de fato, uma surpresa, pois conhecendo suas composições, é evidente sua extraordinária sensibilidade. O que, nem sempre, era algo positivo, pois muitas vezes ele colocava suas energias em sentimentos auto-destrutivos.

"Tenho medo, sim, por saber que estou voltando a ser quem era — acho que sempre me anulei por não entender a maldade do mundo, o desinteresse, a repressão. Quero a simplicidade, sim, harmonia, beleza, poesia. E me fechei, me isolei, por não suportar a intensidade dos meus sentimentos e não querer ser incompreendido e ridicularizado. Não tinha a força para suportar isso. (...) Tenho muito que aprender e trabalhar — ainda. Não sei aonde estou indo, só sei que não estou perdido." — Página 123

Esse livro trata de um episódio muito específico da vida do Renato. Trata sobre o período de 29 dias em que ele ficou internado nessa clínica. Claro que, como eu disse, em muitas ocasiões ele faz alusão a outros acontecimentos que não ocorreram nesse período da internação. É um livro bastante interessante, sim, pra quem tem curiosidade em ler mais sobre ele. Mas importante ressaltar que: não tomem os relatos presentes nesse livro como toda a verdade sobre quem foi Renato Russo. Essa nem é a proposta do livro, contar toda sua vida.

O prefácio foi escrito pelo Giuliano Manfredini, filho do Renato Russo, e que permitiu que esse livro fosse publicado agora. Nele, o Giuliano fala sobre uma conversa que teve com o pai. Diz que era comum encontrá-lo com papel e caneta em mãos, estava sempre escrevendo. Um dia, intrigado, Giuliano pergunta, 'porque você escreve tanto, pai?' E eis a resposta, 'porque nos próximos cinquenta anos, Giuliano, as pessoas poderão saber o que eu sinto e penso hoje'.

Na orelha do livro tem uma informação que diz que era um desejo do Renato que seus escritos fossem publicados postumamente. E, ao que parece, tem mais coisas que ele escreveu pra serem publicadas futuramente (yay!).

Foi uma leitura que eu gostei bastante de ter feito. Recomendo, sim, que leiam. A leitura flui muito bem, li em apenas uma noite, fiquei bem presa às páginas do livro. Um fato interessante sobre a leitura, é que mesmo que seja um relato forte, emocionante, íntimo. A leitura não fica tão pesada, porque é possível perceber que o Renato estava lutando pra se sentir melhor, tentando mudar sua forma de levar a vida. Por não estar feliz como era. Então, isso acaba tirando um pouco do tom carregado que a leitura poderia ter. "(...) Sempre em frente."

VÍDEO


Livro: Só por hoje e para sempre - Diário do Recomeço
Autor: Renato Russo
Páginas: 168
Editora: Companhia das Letras

Obrigada por acompanhar o canal e o blog! Qualquer dúvida ou sugestão deixe nos comentários ou me encontre nas redes sociais.



Se gostou do vídeo curta e compartilhe. Novo por aqui? Inscreva-se no canal para receber as atualizações.

4 comentários:

  1. Oi, tudo bem?! Conheci o blog agora, mas já adorei! Já estou seguindo e curtindo a fan-page. Parabéns :))

    Quero muito ler esse livro do Renato, acho que é obrigatória a leitura para quem é fã do Legião. Adorei a resenha ^^
    Abraços do Dan
    •bookdan.blogspot.com
    •facebook.com/leituradan
    •twitter.com/@leitura_dan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dan! Fico feliz que tenha gostado do blog! Volte sempre! :) Espero que tenha oportunidade de ler o livro em breve! Beijos!

      Excluir
  2. Gostei bastante da sua resenha ! Principalmente a parte em que você explica o porque da leitura não ter sido pesada :)
    Vou comprar esse livro , mas , não vai ser para mim e sim para minha irmã que é fã de Renato Russo .
    Beijos ...

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Diane! Ahhh, tomara que ela goste do presente e da leitura! <3

      Excluir